quinta-feira, 23 de abril de 2015

Sobre sermos momentos

Negócio de feriado no meio da semana é sensacional. Na terça-feira, dia de Tiradentes e do meu tio Vavá (que nasceu no dia de celebrar o mineiro mais famoso do Brasil) eu fiquei de plantão, mas trabalhei de casa e isso quer dizer filmes seguidos nos intervalos do agronegócio. E entre as coisas novas me chegou o sensacional "As Vantagens de Ser Invisível". Sobre o filme falo lá na página "Filmografia!", mas o mais importante é o que fica.

Esse filme me trouxe de volta uma das maiores certezas que eu tenho na vida no alto dos meus quase 30 anos: a vida, meu bem, não é mais do que uma alta costura de momentos. Momentos somente. Momentos simplesmente. Momentos pequenos, grandes, importantes, inerentes, singelos. Momentos. E momentos que ficam, que têm que ficar, que merecem permanecer.

"Podemos ser heróis somente por um dia", diz a personagem de Emma Watson de pé, na carroceria de caminhonete enquanto  seu irmão dirige por um túnel. E ela é aquilo e só aquilo, naquele momento, com aquela música, aquele ventinho na cara, aquele sentimento de alma plena que não pode ser repetido - da mesma forma - nem que ela repetisse cada passo.

Muitos defendem aquela coisa de "calma, isso é um momento, vai passar". Já eu defendo o "isso é um momento, viva-o como se fosse o único, o mais importante, o mais especial...tenha o peso que for, pois ele é único". E cada momento tem seu brilho, suas cores - ou a falta delas - suas lições, seus sons, seu cheiro, seu sabor, sua música. Cada momento cria uma cena que nunca irá se repetirá nos dias em que lhe foram destinados nesse mundo.

E defendo essa vivência, sem medo de errar, até mesmo para os momentos ruins, difíceis, pesados. Mesmo para aqueles que você gostaria de não tê-los vivido e de que acha que eles não merecem um espaço na sua história, nas estantes do seu arquivo. Não revivê-lo, relembrá-lo, revisitá-lo não significa exclui-lo.

Você é, afinal, ou seu sou...já que não posso generalizar...a organização de todos esses momentos, como degraus que você foi subindo dia após dia, obstáculo após obstáculo, conquista após conquista. Seus momentos são seus, são as sensações que você quer viver pra sempre, são as lembranças intocadas, são até mesmo aqueles minutos que lhe fazem sofrer e então você as deixa ali, no fundinho do coração, só pra você.

Você é momento de choro, de riso, de aniversário com gosto de brigadeiro, de saudade com gosto de beijo, de saudade com som de risada da melhor amiga, de saudade com cheirinho de mãe, de casa, de comida de vó. Eu sou momento de intensidade, de raiva, de sensibilidade, de novos sabores, de alegria desmedida, de riso incontido, de lágrimas inevitáveis, de dor, de perda. Eu e você somos momentos que merecem ficar. Sempre. E pra sempre.

Um comentário:

luluhirata disse...

Lindo texto Carol. Amei. Vc sabe que sou sua fã. Bjs